CURSO PELO WHATSAPP

Todos os artigos de A a Z.

Faça o curso lendo e fazendo o entendimento de cada artigo.

Para participar, entre em contato. Certificado gratuito de 20h.

  • 15 Benefícios da Narração de Histórias
    As histórias não são apenas divertidas, recreativas e educacionais. Elas possuem muitas outras  funções. A palavra é capaz de transformar a forma de pensar e sentir o munda a Leia mais …
  • A Contação Artística
    A contação de histórias de forma artística pressupõe que o narrador domine uma atividade artística, naturalmente, ou que treine contar uma determinada história de forma plástica, usando de pelo Leia mais …
  • A Escolha da História
    A proposta de se escolher uma história adequada a cada faixa etária é uma sugestão baseada no estudo do desenvolvimento infantil. Logicamente, cada contador e educador saberá adaptar e Leia mais …
  • A Escolha do Espaço
    Escolher como será o espaço em que vamos contar uma determinada história e como as crianças serão dispostas para assistir a apresentação, na maioria das vezes, não estará ao Leia mais …
  • A Introdução da Contação
    Muitos aspirantes, e até mesmo contadores experientes, perguntam-se  como iniciar uma determinada história nossas histórias. Uma expressão das mais conhecidas e usadas para se iniciar principalmente os contos de Leia mais …
  • A Oralidade do Narrador de Histórias
    Bem antes de a humanidade possuir a escrita como hoje conhecemos, suas memórias e histórias sociais eram passadas de geração a geração pela oralidade, através de narradores dou mesmo Leia mais …
  • AFINANDO A PLATEIA
    Ao perceber que as crianças chegavam para ouvir as histórias com sentimentos, sensações, vivências, expectativas, pensamentos e cronologia (atividades do dia anteriores à história) muito diferentes uma das outras, Leia mais …
  • As Histórias que Ouvimos
    De forma geral, os contos tradicionais, fábulas, lendas e contos folclóricos causam uma grande atração aos pequenos, por apresentarem personagens estranhos ao mundo objetivo, ou descrevem terras e personagens Leia mais …
  • As Infâncias
    As infâncias estão divididas em três fases, segundo Piaget. Há alguns psicólogos, ou profissionais de educação física que dividem apenas em duas as fases. Para nosso estudo, assumiremos três Leia mais …
  • As Técnicas de Contação de Histórias
    O ato de se contar histórias é, em princípio, oral. As diversas técnicas de contação de histórias, na sua essência, não são usadas pelo narrador clássico. A narração é Leia mais …
  • Atividades Complementares à Narrativa
    Após a realização da contação de histórias em espaços controlados, como escolas E bibliotecas, podemos lançar mão de diversas atividades para trabalhar os símbolos e conteúdo do conto. Algumas Leia mais …
  • Bate-papo com José Robson
    Uma exposição das escolhas das histórias infantis usadas por José Robson nas suas apresentações Links mencionados Saco de Bichos Ruth Rocha Maria Clara Machado Desenvolvimento Infantil e faixas etárias Leia mais …
  • Contando com Fantoches
    Bonecos, fantoches, marionetes, são recursos que encantam até mesmo os mais velhos. Esse recurso estabelece uma “socialização” entre a criança e o personagem. Leia mais …
  • Contando dramaticamente
    Quando ouvimos um bom narrador de história nos distanciamos dos nossos pensamentos e preocupações e mergulhamos por um momento no na história contada. A capacidade de manter a concentração Leia mais …
  • Contando História com Livro
    Livros: seria comum dizer que contar histórias através da leitura de um livro para uma platéia infantil promove o interesse pela própria leitura. Já ouvimos e lemos essa argumentação Leia mais …
  • Contando Histórias com Objetos
    Podemos nos apresentar contando histórias com objetos e divertir muito as crianças. Diversos tipos de objetos podem ser usados para contar histórias. Essa técnica advém do segmento “Animação de Leia mais …
  • Das Histórias para Crianças
    Na literatura há diversas divisões e subdivisões. Cada qual com suas características de construção seja por estilo, época, extensão e, mais contemporaneamente, por grupo sócio comportamental. Especificamente sobre a Leia mais …
  • Dinâmica
    Os contadores que não tem nenhuma afinidade musical e nem tem um aparelho de som para “tocar” uma música no início das apresentações tem a oportunidade de brincar, jogar Leia mais …
  • Disposição do Espaço
    Muito do sucesso da narrativa está em planejar e acertar as marcações e desenvolvimento da narrativa. Ter o domínio do espaço, conhecer a sua dinâmica e “mapear” a disposição Leia mais …
  • Espaço Circular
    A mais antiga forma de manifestação social, em que todos podem visualizar cada um do grupo, o que confere a mesma importância a todos do círculo, ao mesmo tempo Leia mais …
  • Fechamento da História
    E chegamos ao final da história. E agora? Existem aquelas frases para finalizar a contação inventadas, ou decoradas de outros contadores e referências literárias tais como: Colorin, colorado, esse Leia mais …
  • Interferências de Execução
    Como vimos, esse tipo de interferência está ligado ao próprio narrador, como ele organiza, projeta e se prepara para a contação de história. O tema “A Preparação do Contador Leia mais …
  • Interferências Externas
    Temos que pensar que quase sempre haverá algum tipo de distração, tanto para as crianças, quanto para o contador. A melhor maneira de lidar com imprevistos é fazer uma Leia mais …
  • Interferências Internas
    Algumas interferências ocorrem durante a contação sem que estejam ligadas ao espaço, nem ao processo de produção da história, mas sim à plateia e a própria “encenação”.   Em Leia mais …
  • Interferências na História
    Quando contamos histórias e chegamos a cenas engraçadas, inusitadas, que causam medo, ou estranheza, muitas crianças reagem de formas das mais variadas: interpelam, escondemos olhos, gritam se escondem atrás Leia mais …
  • Mediação de Leitura e a Oralidade
    Com a popularidade dos contadores de histórias e da mediação de leitura, que ganharam importância concomitantemente nos últimos 10 anos, o papel de ambos tem se confundido e mesmo Leia mais …
  • Narração Clássica (popular)
    A cotação de história é contada oralmente, sustentada no desempenho pessoal do contador, nas qualidades empregadas à palavra (rimas, inflexão, projeção, etc.) e na expressão primária do agente contador. Leia mais …
  • O Espaço Retangular
    A maioria das contações de histórias é realizada em salões, anfiteatros, pátios e salas de aula no formato retangular. Algumas vezes as crianças se sentam no chão, outras nas Leia mais …
  • O Que fazer após a narrativa
    O contador de histórias se despede da plateia após o conto, desmonta seus equipamentos, troca de roupa e vai para outro evento, ou para sua casa… Essa é a Leia mais …
  • Ocupação do Espaço Cênico
    Outra preocupação é a ocupação do espaço cênico, que pode ser um palco, uma praça, um salão. A movimentação e o preenchimento dramático do local onde contamos a história Leia mais …
  • Oportunidade
    Já em situações em que não há plateia definida, por vários motivos, podemos estar livres para começar a história para grupos pequenos, ou mesmo uma, ou duas crianças apenas Leia mais …
  • Os Tipos de Contos e Histórias
    “Uma criança de dez anos que lê como quem respira, que gosta de ler, que como quem está usando mais um, além dos seus cinco sentidos, estará preparada pra Leia mais …
  • Outros Espaços
    A narração pode ser realizada em inúmeros espaços, situações e para grupos grandes e mínimos, mesmo para uma única pessoa, sendo criança, ou adulto. A visão clássica de uma Leia mais …
  • Pontos de Interesse
    Também podemos iniciar uma história tendo como ponto de partida interesses coletivos, ou individual das crianças. Isso ocorre principalmente com “temas” amplamente difundidos pela mídia, ou por “desenhos da Leia mais …
  • Primeira Infância
    A primeira infância, segundo Piaget, será a fase da imitação, sonora e pictórica. Abrange desde o nascimento até os 03 anos de Idade aproximadamente. É nessa fase que a Leia mais …
  • Quadro de Histórias
    Quadro comparativa de histórias indicadas para a primeira e segunda infâncias. Como vimos nos artigos e aulas anteriores sobre as fases infantis, as histórias são escolhidas de acordo com Leia mais …
  • RESUMO DO MÓDULO 03 – Curso de Contação de Histórias
    Acima, um resumo do Módulo sobre Técncas de Contação de Histórias O Vídeo faz parte do curso que ministro e que tem três formatos para participação Plataforma EAD 100% Leia mais …
  • Ritos e Preparativos
    Nos principais grupos étnicos antigos do oriente e ocidente, do novo mundo e do velho mundo, as crenças e sociedade eram baseadas em ritos e o papel que cada Leia mais …
  • Segunda Infância
    A segunda infância, segundo Piaget, é marcada pelo domínio da lateralidade, a socialização, a cognição e a percepção de si. A curiosidade é o sinônimo da aprendizagem, da brincadeira, Leia mais …
  • TEA e a Narração de Histórias
    A criança aprende os princípios da contação de histórias nos primeiros três anos de vida e as crianças com Transtorno de Espectro Autista (TEA) não fogem a regra. Foto: Leia mais …
  • Terceira Infância
    A terceira infância, segundo Piaget, é marcada pela fase da alfabetização escolar e a fase do encantamento. Na terceira infância, que compreende a fase dos 6 aos 9 anos Leia mais …