Atividades Complementares

Após a realização da contação de histórias em espaços controlados, como escolas E bibliotecas, podemos lançar mão de diversas atividades para trabalhar os símbolos e conteúdo do conto. Algumas atividades estimularão o “sentir”, outras o “pensar”, outras ainda o “diálogo”, a “socialização”. Escolher a atividade de acordo com a necessidade do grupo trará grandes resultados.

Diferentemente das atividades ligadas ao fechamento da história, as atividades complementares serão mais estruturadas, estimulando respostas subjetivas durante a realização das propostas, ou através do resultado, como em pinturas, modelagens e montagens.

Pintura com Tinta

A tinta é a expressão do sangue, do sentir, da interiorização. Expressar-se através da pintura pode externar nossos mais sutis medos, receios, desejos, bloqueios. Normalmente é uma forma de trabalhar os sentimos pessoais em relação ao mundo, principalmente para crianças com histórico de timidez, afastamento social, dificuldade de expressão verbal.

Música e Canto

A musicalização está ligada a respiração. A música será um fator de distanciamento de tudo o que aconteceu até aquele momento, promovendo um momento de entrega e grande felicidade. Isso ajudará a muitas crianças a se libertar de pequenos traumas que possam ter vindo “à tona” por causa de determinada cena, ou personagem.  Não por acaso momentos de grande estresse, ou medo, o canto ajuda a acalmar, ou mesmo a oração, que é uma forma de “cântico espiritual”, independentemente da religião.

Desenho e Escultura

As linhas e as formas ajudam o pensamento a se estruturar, ordenando fatos e acontecimentos, dando motivos e razões a estes. Estão ligados a estruturação, a forma, ao “orgânico”. Solicitar, ou estimular a realização dessas atividades fará com que a criança, sem que tenha consciência, comece a “pensar” em si e nas coisas a sua volta. O ideal é que não direcionemos que desenho, ou escultura elas devam fazer, mas que seja espontâneo. Mesmo que aparentemente não tenha nenhuma conexão com a história e seu tema, a expressão que dali surgir, poderá ser uma “reação”, ou mudança de pensamento e atitude, que não será reconhecível, mas muitas vezes, descobertas e criações que ajudarão a criança a crescer.

Jogos Dramáticos e Dinâmicas

Dinâmica com crianças em uma sessão de contação de história – com José Robson

É nessa atividade que as crianças se entregam com maior força e empenho. Os jogos (dinâmicas) e o teatro de faz de conta, que não precisa ter relação com a história contada, elevam a mente, o sentimento e a expressão da criança ao máximo, promovendo grande socialização, revelando as atitudes individuais e de grupo. É possível notar nessas duas formas de expressão como a criança se relaciona com adultos e outras crianças, e traçar um paralelo com a forma que ela também é tratada por esses dois grupos, inclusive o familiar. Se a história tiver pontos em que as relações sociais, sentimentais e familiares são pontos importantes, os jogos e o teatro será um bom investimento de atividade.


Registros

Ao optar por essas atividades, o relatório e registros fotográficos e em vídeo serão importantes para mensurar as respostas esperadas e as efetivamente alcançadas, construindo um histórico do evento, do grupo e de indivíduos.


O Artigo acima faz parte integral do “Curso de Contação de Histórias” da Cia ArtePalco. Não pode ser reproduzido, copiado, ou utilizado sem prévia autorização.

INSCREVA-SE: Curso de Contação de Histórias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *